Posted on Deixe um comentário

Prosa curitibana

Por: Erichsen Pereira

Nas pousadas e nos galpões, à noite, enquanto o chimarrão rodava, iam ouvindo histórias contadas com aquele vagar e descanso dos que não tinham pressa — porque não adianta tê-lo — dos que sabiam ter paciência, sabendo, de antemão, o tempo a ser gasto em cada jornada percorrida. Assim, foram aprendendo ‘causos’, aprendendo-os para contá-los mais à frente. Dessa forma, faziam-se bons conversadores, sabendo ouvir e sabendo falar por sua vez. É este, ainda, passados anos, um dos traços característicos dos homens dos Campos Gerais.

PEREIRA, J. E. Erichen. Uma História de Caminhos. Curitiba. SEEC. 1997. p.38.